O Campo de Cancerização compreende uma área da pele que já pode apresentar mutações genéticas nas células, que representarão as futuras lesões de QA ou CEC.


Cabe ressaltar que, as mutações genéticas nas células, no início, podem não se manifestar visivelmente na superfície da pele. Chamamos essa situação de “lesões subclínicas”, pois apesar das células alteradas já existirem, ainda não podem ser percebidas pelo exame dermatológico do paciente.


A partir desse conhecimento, novas formas de avaliar o paciente e novas terapias foram desenvolvidas, para, além de tratar o que já se pode detectar, tratar também as áreas das possíveis novas lesões de QA ou até mesmo dos cânceres da pele.


Campo de Cancerização: esquema representando a queratose actínica na parte mais profunda da epiderme, ainda sem manifestação na superfície da pele. Posteriormente ocorre manifestação da queratose actínica na superfície da pele. E por último, algumas lesões evoluem para o carcinoma espinocelular, manifestando-se na superfície da pele e também invadindo camadas mais profundas da pele, como a derme.

Voltar